A Luta

Simers e prefeitura de Canoas debatem o futuro do Hospital Nossa Senhora das Graças

11/02/2019


Foto:Simers/Divulgação
Foto:Simers/Divulgação


Em mais um episódio na luta para resgatar a saúde de Canoas, a direção do Simers se reuniu com o prefeito do município, Luiz Carlos Busato, para discutir o cenário caótico do Hospital Nossa Senhora das Graças. O encontro aconteceu nesta quinta-feira (07). O objetivo do Simers é encontrar alternativas para salvar a saúde financeira da instituição, que enfrenta uma situação de crise desde meados do ano passado. 

O que diz a prefeitura

A gestão municipal admite que poderia oferecer um aporte financeiro maior para a gestão do Graças. Por outro lado, afirma que não vai disponibilizar mais verba enquanto o hospital for administrado pela ABC. Segundo a prefeitura, a empresa teria perdido a credibilidade com o passar do tempo. Outra dificuldade alegada é o valor devido pelo Estado – em torno de R$48 milhões. 

Busato revelou que após a desistência da Sociedade Sulina Divina Providência, duas empresas demonstraram interesse em administrar a casa de saúde. Seriam o Ernesto Dornelles e a Associação Beneficente São Miguel, de Gramado. A prefeitura estabeleceu o prazo de até sexta-feira (15/02) para que seja decidida que organização irá assumir a gestão do Graças. 

Simers convoca autoridades para salvar saúde de Canoas

A entidade médica vem lutando incessantemente para salvar a saúde de Canoas. Para o presidente do Simers, Marcelo Matias, o prazo estabelecido pela prefeitura é o limite para realizar ações mais contundentes. “Recebemos um prazo. Até sexta-feira é preciso ter a definição absoluta sobre a empresa que vai assumir o Graças, com a concordância da ABC, e incremento de recursos. Caso não ocorra, devemos entrar em um debate público para buscar soluções para a saúde de Canoas”, disse o dirigente.

Matias também convocou todas as esferas a contribuir para salvar a saúde de Canoas. “O governo federal precisa contribuir de alguma forma. O estadual precisa repassar a verba devida para Canoas e o municipal precisa entender que deve cumprir a saúde plena. Temos um longo caminho pela frente”, afirma o presidente do Simers.


SEGUROS