A Luta

Adolescentes do sexo masculino já podem receber a vacina contra o HPV

10/01/2017 14:18

Foto: Divulgação/SIMERS
Foto: Divulgação/SIMERS
A Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul informou que o Governo Federal já enviou as doses da vacina contra o HPV, portanto adolescentes do sexo masculino, entre 12 e 13 anos, já podem receber a vacina nos postos da rede pública de saúde. O governo já havia anunciado a medida em outubro do ano passado, mas só entrou em vigor em janeiro deste ano. Já para as meninas de 9 a 14 anos, essa vacina faz parte do calendário desde 2014. Em Porto Alegre, a Secretaria Municipal da Saúde estima que a população de meninos nessa faixa-etária é de 19,9 mil. Além de proteger contra o HPV, a vacina protege contra o câncer de pênis, ânus e garganta. A inclusão dos meninos na vacinação é uma recomendação da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SPRS).  “Vacinar contra o HPV é muito importante, pois se trata de um vírus que é passado durante as relações. Quanto mais gente jovem for vacinada fica cada vez mais fácil de combater”, afirma o médico da SPRS Benjamin Roitman . Segundo Roitman, cerca de 80% das pessoas sexualmente ativas entram em contato uma vez na vida com o HPV. Logo que soube da vacinação, a enfermeira Cristiane Borges foi até ao posto de saúde para vacinar seu filho Rafael Borges Gomes, de 13 anos. “O Rafael está na idade limite para receber uma vacina tão importante como é essa contra o HPV. É essencial que todos os pais tragam também seus filhos”, disse Cristiane. Partindo do princípio que o HPV é contraído através das relações sexuais, os benefícios da campanha acabam se estendendo para as mulheres. “A vacinação, sem dúvida, também traz benefícios para as meninas, pois geralmente elas recebem o HPV dos parceiros. E um dos casos mais graves é o câncer de colo de útero que em estágio mais avançado pode se estender a bexiga e intestino baixo”, destaca. Roitman salienta que aproximadamente 9 mil casos são detectados no Brasil a cada ano. O Brasil foi o sétimo país a incluir o sexo masculino na vacinação. Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá já haviam adotado a campanha.  Até 2020 a faixa etária deverá ser ampliada para 9 a 13 anos. Confira as mudanças na aplicação da vacinação contra o HPV em 2017: Antes: - duas doses com intervalos de seis meses para meninas entre 9 e 13 anos; - três doses com intervalo de dois e seis meses para mulheres com HIV entre 9 e 26 anos; Agora: - duas doses com intervalo de 6 meses para meninas de 9 a 14 anos; - três doses com intervalo de dois e seis meses para mulheres com HIV entre 9 e 26 anos; - duas doses com intervalo de 6 meses para meninos de 12 a 13 anos; - três doses com intervalo de dois e seis meses para homens com HIV entre 9 e 26 anos.
SEGUROS