Sindicato Médico do Rio Grande do Sul - Simers
A Luta

Três Passos: Médicos e funcionários se mobilizam devido a atrasos em salários

02/06/2016 17:11

A falta de pagamentos dos trabalhadores do Hospital de Caridade de Três Passos (HCTP) está mobilizando a categoria médica, comunidade e outros funcionários. Será realizado nesta sexta-feira (3) um ato simbólico em defesa da saúde pública e pelo pagamento imediato dos salários em atraso. A atividade iniciará às 10h30, na Praça Reneu Geraldino Mertz, centro da cidade, seguindo com uma caminhada até o Hospital de Caridade. No local, será realizado um abraço simbólico à instituição. O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul negocia, desde maio de 2015, o pagamento de valores devidos aos médicos que atuam no hospital. Após meses de atraso, as remunerações foram quitadas, mas em 2016 a instituição voltou a atrasar e não efetuou pagamento algum aos profissionais neste ano, o que os levou a paralisar as atividades. De acordo com a delegada regional do SIMERS, Susilene Gonçalves, a paralisação ocorre em função de não haver qualquer perspectiva de pagamento ou indícios de negociação com o HCTP. “O movimento é por consequência da total falta de condições de trabalho proporcionadas pelo hospital, pois os médicos, mesmo sem receber há meses, o que compreende todo o ano de 2016, seguiram suas atividades. Hoje chegamos em um nível inadmissível”, explica. Os atrasos de salários no HCTP são históricos. O Sindicato iniciou, em maio de 2015, a negociação para que a instituição efetuasse o pagamento de 14 meses de produções do SUS e quatro meses de salários e honorários médicos que estavam em atraso. Na época, o hospital se comprometeu a efetuar o pagamento em dez parcelas, que deveriam ser quitadas junto com os salários dos meses seguintes. Neste ano, foram novamente registrados atrasos. Em março, o SIMERS emitiu notificação extrajudicial exigindo os pagamentos. No mês seguinte, os procedimentos eletivos foram paralisados e o total descaso do hospital em relação ao trabalho médico levou o grupo a elaborar e levar ao conhecimento das autoridades locais o aviso prévio de 30 dias para a interrupção dos serviços de urgência e emergência, que devem parar no próximo dia 9. O SIMERS ressalta que se colocou à disposição para negociar novamente e em várias oportunidades com o HCTP, mas não houve retorno da instituição.

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
SEGUROS