Sindicato Médico do Rio Grande do Sul - Simers
A Luta

Doações de alimentos arrecadados em Santa Maria e Lajeado ajudarão instituições

21/08/2017 11:11

Foto: Fabrício Goulart/Lajeado
Foto: Fabrício Goulart/Lajeado
Alimentos arrecadados durante o sábado (19), em Lajeado, pelos alunos do curso de Medicina da Univates, deverão ajudar 26 instituições no município. A ação, iniciativa do Núcleo Acadêmico do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (NAS-SIMERS), aconteceu em diversos pontos da cidade e integrou o segundo dia de atividades do Trote Solidário, que reuniu cerca de cem universitários, em diferentes horários. Em Santa Maria, a ação mobilizou mais de 150 estudantes de Medicina do Centro Universitário Franciscano (Unifra) e da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e demonstrou que o ingresso dos calouros no ensino superior pode ser mais do que um momento de comemoração. Para os futuros médicos, é a oportunidade de salvar vidas exercendo o altruísmo desde o início da faculdade. O estudante Leonardo Rickes, 21, aluno do 2° semestre da Univates, destaca o caráter solidário do projeto que proporciona uma relação melhor entre os acadêmicos. “Começarmos esse trabalho desde a entrada no curso e queremos mantê-lo nos outros anos. A ideia é fazer uma integração entre os alunos do primeiro e dos outros semestres da Medicina”, avalia. Os alunos que recolheram as doações em frente a supermercados da cidade, em Lajeado, receberam também elogios dos moradores. Para Maria Deloli Veloso, 56, a atitude dos estudantes é maravilhosa. “São jovens que estão fazendo coisas que nós, muitas vezes, não fazemos. Há muita gente precisando. Se cada um der um pouquinho, chegamos a um monte de doações”, reflete.

Santa Maria

Foto: Cristiano Magrini/Santa Maria
Foto: Cristiano Magrini/Santa Maria
Jane Maria Cavalheiro de Farias, 58, contribuiu com alimentos e fez questão de conversar com os jovens calouros. “É fantástica essa ação. O voluntariado ajuda mais quem trabalha do que quem recebe. Claro que quem recebe se alegra, mas o nosso coração fica feliz ao praticar essa atitude”, disse. O engenheiro agrônomo Thiago Idalgo, 34 anos, ressaltou o diferencial do Trote Solidário. “Essa visão de o Trote não ser só fazer bagunça, já é um avanço”. O aposentado Altivo Goulart Rodrigues, 66, faz coro à declaração. “Eu acho que agora os estudantes estão no caminho certo. Eu sempre achei aquelas brincadeiras horríveis e sempre pensei que a meninada poderia fazer coisas mais interessantes”, disse. Rodrigues trabalha há 11 anos como voluntário. Cozinheiro de uma instituição de apoio a crianças e adolescentes com câncer, ele convive diariamente com a necessidade de doações e ressalta a importância da solidariedade. “Esse sábado solidário ajuda muito. A gente precisa desse tipo de doação porque os recursos são poucos”. Na avaliação dos diretores do Núcleo Acadêmico que acompanharam as atividades em Lajeado e Santa Maria, a ação foi positiva e de repercussão nas comunidades das respectivas cidades. Os alimentos serão encaminhados ao Banco de Alimentos.

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
SEGUROS