A Luta

Medo afasta médicos da UBS Aparício Borges, em Porto Alegre

24/04/2018 20:50

Há menos de um ano, havia quatro médicos na UBS Aparício Borges, em Porto Alegre. Agora há apenas dois – os demais desistiram de atuar no local devido aos constantes furtos e assaltos. Uma das funcionárias que atua há seis anos na unidade respira aliviada. “Graças a deus estou saindo daqui! E um dos motivos da minha solicitação de transferência é, sem dúvidas, a violência. Vivenciei um assalto a mão armada na frente da minha casa. Daí venho para cá e têm esses episódios. É uma insegurança muito grande”, ressalta. A UBS fica no mesmo terreno da Escola Estadual Gerônimo Dornelas, no bairro Partenon. A entrada é uma só – a UBS fica à direita e a instituição de ensino, à esquerda. Mas esse portão, que está sempre aberto a qualquer pessoa, fica escondido entre muros com quatro metros de altura. Ou seja: quem passa na rua não consegue ver o que acontece lá dentro, o que encoraja a ação de bandidos. “O posto está totalmente exposto. Qualquer um entra!”, desabafa a diretora do Simers Clarissa Bassin. Durante uma reunião realizada na manhã desta terça-feira (24/abr), os representantes do Simers, juntamente autoridades municipais, profissionais da saúde e da segurança e membros da comunidade puderam ver o problema com os próprios olhos. “Imediatamente tem que ter alguém no portão. Essa seria a primeira barreira física. Lá não há ninguém! Basta abrir a porta da UBS, entrar e tomar conta do posto”, alarmou-se o secretário de Segurança de Porto Alegre, Kleber Senissse. Senisse se comprometeu em falar com o secretário municipal de saúde, Erno Harzheim, e averiguar o andamento das solicitações. “Vamos ver a possibilidade também de inserir uma equipe da EPTC nas imediações, assim como guardas municipais em horários de pico, fazendo rondas”, ressaltou. Segundo ele, será viabilizada a instalação de câmeras de vídeo para o monitoramento constante do local, assim como rádio comunicador e conserto do botão do pânico. Atualmente, a equipe de funcionários da UBS é formada por 15 servidores.  Apenas dois médicos permanecem no atendimento, além dos profissionais que integram as Equipes da Saúde da Família – enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários. A unidade atende um contingente de nove mil pessoas, com previsão de crescimento devido aos empreendimentos construídos no bairro.
SEGUROS