A Medicina

MUHM promove ciclo de palestras sobre preservação e conservação de acervos

14/03/2017 21:00

Ciclo de palestras do MUHM
O MUHM recebeu profissionais da área ao longo de toda a semana. Foto: Divulgação/SIMERS
Promover uma cultura preventiva também quando o assunto é o patrimônio histórico e garantir que os profissionais da área estejam preparados para agir em casos de emergência. Esse é o foco do 6º Ciclo de Palestra Preservação e Conservação de Acervos, promovido pelo Museu de História da Medicina (MUHM) desde a última segunda-feira (13). Os encontros, conduzidos pelo museólogo Elias Machado, seguem até a próxima sexta-feira (17), com entrada gratuita. Para o palestrante, agir preventivamente é fundamental, mas está longe de ser a cultura adotada pelo brasileiro. Além disso, os investimentos na área ainda são pequenos. “Um plano de prevenção e emergência vai tentar o máximo possível minimizar os sinistros quando eles ocorrerem. Por exemplo, se acontecer uma infiltração de água aqui e já tivermos esse plano estruturado, nós vamos saber como agir prontamente. Tudo isso baseado em metodologias e técnicas específicas, sem nenhum tipo de senso comum”, explica Machado. Para cada espaço, ele destaca que existe um modo de planejamento e ação diferente, definido de acordo com as características e necessidades do local. Primeiramente, são levantados todos os riscos possíveis. Na segunda etapa, ocorre a projeção de cenários que podem envolver esses danos. Em Porto Alegre, o problema mais comum é a ocorrência de incêndios, que podem consumir as peças em pouco tempo. Com a estratégia certa, porém, é possível diminuir as perdas.

Ciclo de palestras já é tradição

Em sua sexta edição, o evento foi pensado dentro da Reserva Técnica do MUHM para trabalhar a conservação e preservação dos acervos históricos. A cada ciclo, um tema diferente é abordado dentro dessa temática mais ampla. Educação em museus, conservação de papel, restauro e pequenos reparos são alguns dos enfoques já trabalhados anteriormente.
SEGUROS