A Vida

Pais e médicos sacrificam a família pela medicina

14/09/2016 09:27

Ser pai e mãe talvez consista na tarefa mais difícil para homens e mulheres. É ser responsável por uma vida além da sua, assim como é a essência do trabalho do médico. Quando pai e/ou a mãe são médicos, essa função estabelece um nível de dedicação desafiadora. De um lado está a família, de outro, os pacientes. O pai médico e a mãe médica escolheram cuidar de ambos, mas como conciliar grupos que demandam tanto tempo e atenção? A médica Rosane deixou a filha de apenas um mês aos cuidados de terceiros para se dedicar à profissão.
Voltei a trabalhar quando minha filha tinha apenas um mês. Trabalhava o dia todo e o sentimento era de impotência por tentar conciliar o trabalho com cuidar de um bebê tão pequeno. Para não deixar meus pacientinhos na mão, acabei deixando minha filha sem a atenção necessária. E eu também, sem o repouso preciso. Hoje, minha filha está com seis anos. Eu sou oftalmologista pediátrica e, como somos poucos especialistas na cidade em que trabalho, nossas agendas estão sempre superlotadas. Cada vez que tenho que me ausentar do consultório, sofro pelos meus pacientinhos que estavam aguardando pela consulta, em média, três meses.
 
SEGUROS