Defesa

Simers alerta autoridades sobre a preocupante falta de medicamentos na Santa Casa de Caridade de São Gabriel

08/04/2021 18:19

Diretor do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Willian Adami esteve na quarta-feira (7) na Santa Casa de Caridade de São Gabriel para apurar denúncias sobre a falta de medicamentos para tratamento dos pacientes com Covid-19 e para verificar as condições de trabalho dos profissionais do estabelecimento de saúde.  
 
O diretor do Simers atestou a escassez de fármacos ao calcular que "os medicamentos disponíveis no hospital, principalmente os sedativos e bloqueadores neuromusculares, muito importantes para os pacientes em ventilação mecânica, são suficientes para, no máximo, dois dias". De imediato, o representante do Simers solicitou à Santa Casa uma lista com o número de pacientes internados em leitos de UTI e a quantidade diária de medicamentos que o hospital precisa para dar conta da demanda.  

Delegado regional do Simers, Paulo Pizarro agradeceu o empenho de todos para ajudar a resolver o problema da falta de medicamentos e os desafios enfrentados na área da saúde na cidade. Ele salientou que a quantidade de insumos disponibilizados pelo Estado é inferior à necessidade. "Nós precisamos de mais quantidade, ou seja, dez vezes mais, para manter o paciente no respirador", alerta Pizarro, que também é coordenador-geral do bloco cirúrgico da Santa Casa. 

Junto a uma comitiva de representantes do Simers, Adami também se reuniu com o prefeito Rossano Gonçalves para tratar dos problemas que envolvem a Santa Casa local. O encontro contou, ainda, com a participação do deputado estadual Dr. Thiago Duarte (DEM), presidente da CPI dos Medicamentos da Assembleia Legislativa.
 
Concomitantemente ao cumprimento da agenda de ações em prol do trabalho dos médicos, em São Gabriel, a equipe do Simers encaminhou as indicações dos medicamentos faltantes na Santa Casa para providências cabíveis dos órgãos competentes. Com vistas à obtenção de soluções emergenciais, Adami destacou que “há indícios de que hospitais da Capital tenham estoque suficiente para alguns meses enquanto instituições da fronteira oeste têm medicamentos suficientes para apenas algumas horas”. Assim, sugeriu a união de forças entre cidadãos, instituições e gestores no Estado para a superação da crise na saúde.

A comitiva do Simers reiterou o total apoio da entidade aos médicos que atuam na Santa Casa de Caridade de São Gabriel e destacou o empenho para solucionar os evidentes problemas ocasionados pela falta de gestão na distribuição dos medicamentos, situação que pode gerar sérios problemas à saúde local.

SEGUROS