Defesa

Simers denuncia precarização nos serviços de obstetrícia e ginecologia do Hospital São Vicente de Paulo em Cruz Alta

19/02/2021 00:00



O Simers entregou nesta quarta-feira (17) às autoridades, aos órgãos de fiscalização e à mantenedora do HSVP (Hospital São Vicente de Paulo), de Cruz Alta, uma notificação apontando os desafios enfrentados pelos médicos das áreas de ginecologia e obstetrícia que trabalham na instituição. Até o momento, o hospital não realizou o pagamento do salário referente ao mês de dezembro e não há sequer alguma previsão de acerto. Conforme os médicos, os atrasos nos honorários são frequentes. 

Em função desse cenário, apenas os casos de parto, urgência e emergência serão atendidos no hospital a partir de 1º de março. Os médicos relatam, inclusive, que há colegas que permanecem cinco dias sucessivos de plantão, devido à inexistência de uma escala regular e pela falta de profissionais. Eles apontam essa como a situação mais grave, pois compromete o atendimento à saúde da população como um todo. Segundo os médicos, o problema nas escalas leva os profissionais à exaustão e pode comprometer o serviço oferecido à comunidade. Por isso, solicitam, além do cumprimento do contrato de trabalho e da regularização dos pagamentos aos médicos, a contratação de pelo menos mais dois obstetras.  

O documento, assinado pelo presidente do Simers, Marcelo Matias, e pela diretora de Interior, Daniela Alba, foi entregue para a presidente da Associação das Damas de Caridade de Cruz Alta/Hospital São Vicente de Paulo, Luciana Miranda Dreher, o diretor técnico do HSVP, Sergio dos Santos Rufini, o presidente do Cremers, Carlos Isaia Filho, a promotora de justiça da Promotoria de Justiça Cível de Cruz Alta, Vanessa Casarin Schütz, e a prefeita de Cruz Alta, Paula Rubin Facco Librelotto.

SEGUROS