Médico

Simers esclarece que o lote de vacinas AstraZeneca/Oxford aplicadas na entidade estava dentro da validade

02/07/2021 22:38

 

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) esclarece que o lote de vacinas AstraZeneca/Oxford, aplicadas em fevereiro em uma ação na entidade, estava dentro do prazo de validade. O lote aplicado tinha validade até abril. Este esclarecimento se faz necessário para tranquilizar os médicos que foram vacinados na entidade. Hoje foi divulgado, pela imprensa, que ao menos 26 mil doses vencidas da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca/Oxford foram aplicadas no Brasil, até 19 de junho.
São vacinas distribuídas pelo Ministério da Saúde dentro da validade e usadas depois que o prazo expirou em 1.532 municípios, inclusive em cidades do Rio Grande do Sul, onde essas aplicações estão sendo checadas pela Secretaria Estadual da Saúde (SES). Vale salientar que a segunda dose, aplicada em 1° de maio, também estava dentro da validade. 

A Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou, no final da tarde, que o Núcleo de Imunizações Zona Sul da SMS está acompanhando o caso. Os registros do lote 4120Z005 no Sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) estão sendo averiguados. Se descartados problemas de registro de informações no SI-PNI, confirmando aplicação fora do prazo devido, haverá monitoramento de cada uma das pessoas, com busca ativa. Os nomes serão informados em lista pelo NIZS/DVS/SMS para cada serviço vacinador, para que as pessoas sejam informadas. Nesse caso, de acordo com o Plano Nacional de Vacinação Covid, as pessoas serão revacinadas. 
A SMS recebeu, em 25 de janeiro de 2021, um dos lotes informados na reportagem, identificado como de número 4120Z005. Este lote continha 32 mil doses no total, em frascos multidoses, com dez doses cada frasco (3.200 frascos recebidos), e era válido até 14/04/2021. Os frascos foram distribuídos, dentro da validade, para serviços de saúde, para aplicação de profissionais de saúde vinculados às instituições, a maioria hospitais.
O Ministério da Saúde informou, por meio de nota, que nenhuma dose de vacina é entregue vencida aos Estados, e que acompanha com rigor todos os prazos de validade dos imunizantes recebidos e distribuídos pela pasta. Também disse que cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do ministério.
 

SEGUROS