Sindicato Médico do Rio Grande do Sul - Simers
A Luta

Situação precária leva à restrição dos atendimentos no HPS de Canoas

20/11/2018 00:00

A partir de hoje (20), os atendimentos do Hospital de Pronto Socorro de Canoas (HPSC) ficarão restritos, com manutenção de somente 30% do serviço. Os ambulatórios também terão as consultas suspensas. O pedido é que a população só busque o HPSC em casos graves.  A medida é uma resposta às dificuldades enfrentadas diariamente, com o sucateamento da estrutura e a falta de insumos básicos, a exemplo da Novalgina. “A situação é insustentável, os médicos não aguentam mais. Essa é uma tentativa de mostrar à sociedade as condições precárias a que profissionais e pacientes são expostos”, aponta a diretora do Simers Gisele Lobato.

Gisele destaca ainda que é preciso parar de tentar resolver os problemas do hospital com medidas paliativas e pouco eficazes. “Nós já vimos essa situação se repetir inúmeras vezes, de maneira cíclica. Quantas vezes mais vamos ter que denunciar esse cenário caótico para que se tomem atitudes definitivas?”, questiona.

Para os médicos, também é preciso dar uma basta no jogo de empurra: tanto o Grupo de Apoio à Medicina Preventiva (Gamp) quanto Prefeitura Municipal de Canoas precisam assumir suas responsabilidades e demonstrar comprometimento em solucionar o quadro. O mesmo vale para o governo do Estado que, ao não honrar com os repasses, colabora para que as soluções fiquem mais distantes.

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
SEGUROS