Sindicato Médico do Rio Grande do Sul - Simers
A Vida

Trote Solidário do NAS movimenta bancos de sangue em Porto Alegre

31/03/2017 17:58

Estudantes da UFCSPA se reuniram no Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia. Foto: Doivulgação/SIMERS
Estudantes da UFCSPA se reuniram no Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia. Foto: Doivulgação/SIMERS
Entrando no seu 10º ano, o Trote Solidário, iniciativa do Núcleo Acadêmico do Sindicato Médico do RS (NAS), reuniu dezenas de acadêmicos de Medicina de Porto Alegre e Canoas para doação de sangue nesta sexta-feira (31). Como lembra o presidente da instituição, Gustavo Pesenatto, nem só os calouros se engajam na ação. A cada edição, mais pessoas se somam à causa, inclusive da comunidade. Os estudantes da Universidade de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) concentraram-se no Banco de Sangue da Santa Casa de Misericórdia, na Capital. Luísa Duarte Pitton doou sangue pela primeira vez. “Para mim é uma sensação maravilhosa poder ajudar quem precisa, fazer alguém sorrir. No primeiro ano do curso não temos como ajudar as pessoas como médicos por que ainda não temos o conhecimento necessário e esta é uma forma de fazer o bem ao próximo”, disse ela. De Venâncio Aires, a jovem já fez outras doações. Recentemente, ela também cedeu em torno de 50 cm de cabelo para uma organização que confecciona perucas para pacientes com câncer. No Banco de Sangue do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, os acadêmicos de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) fizeram fila para doar. Marina Borges foi acompanhada da mãe. “Já doei uma vez, acho muito importante a organização da campanha e a mobilização dos colegas e até mesmo da família. Eu trouxe a minha mãe para doar também”, conta. A mãe, Anelise, percorreu cerca de 100 quilômetros de Nova Petrópolis até Porto Alegre para estar ao lado da filha e garantir a boa ação. “O Trote é uma iniciativa muito válida. Fico contente de colaborar com o grupo. Nunca tinha doado, mas achei fantástico e vou doar de novo quando puder”, revela. Já o Banco de Sangue do Hospital São Lucas ficou movimentado durante toda a manhã e início da tarde pelos estudantes da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS). O calouro Vitor Locatelli entende que a inciativa é importante por incentivar a integração sem o aspecto violento do trote sujo. “Tudo isso enquanto ajudamos outras pessoas que precisam. Eu sempre tive aquela vontade de doar, mas sempre ficava com receio. Agora posso dizer que é muito tranquilo e que vale a pena”, explica. No início da tarde, acadêmicos de Medicina da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) de Canoas lotaram um ônibus e foram até o Hemocentro do Rio Grande do Sul (Hemorgs) para também contribuir. A veterana Giovana dos Santos Brum já havia doado no ano passado e agora aproveitou para incentivar os colegas que estão começando. “Hoje a gente deixa um pouco do nosso sangue e amanhã estaremos nos mercados recolhendo alimentos. É uma chance de fazer a nossa parte”, completa.

Sábado é dia de arrecadar alimentos

As atividades do Trote Solidário envolvem um dia de doação de sangue e outro de arrecadação de alimentos não perecíveis em supermercados. A programação da primeira edição de 2017 segue neste sábado (1º). Os estudantes das unidades de Porto Alegre e Canoas estarão nos principais supermercados das cidades recolhendo doações de alimentos.

Tradição premiada

Promovida desde 2008, a ação do NAS-SIMERS é uma parceria com turmas de veteranos das faculdades de Medicina e se tornou a maior iniciativa de recepção aos alunos que recém ingressaram em universidades. O projeto venceu, em 2013, o prêmio TOP Ser Humano RS, organizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RS). Em 2014, o Trote Solidário arrematou o TOP Ser Humano Nacional, da ABRH Brasil.

Aviso de Privacidade

O Simers utiliza cookies e tecnologias semelhantes, como explicado em nossa Política de Privacidade, para melhorar a experiência de usuário. Ao navegar por nosso conteúdo, o usuário aceita tais condições.

Ver Política
SEGUROS