A Luta

Médicos do Hospital de Frederico Westphalen querem rescindir contratos

04/04/2017 14:33

Hospital Divina Providência
Hospital foi notificado pelo SIMERS a pagar valores em atraso
O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) notificou a direção do Hospital Divina Providência de Frederico Westphalen, no Norte do Estado, a respeito da decisão dos médicos de rescindirem os contratos com a instituição. A medida foi tomada em virtude do atraso no pagamento de honorários relativos ao mês de dezembro de 2016. São cerca de 30 profissionais, que têm a receber um valor aproximado de R$ 150 mil. Os médicos consideram que a situação “é insustentável e vem gerando um clima de insegurança financeira, incompatível com a relevância e excelência dos serviços prestados”. Caso a direção do hospital não efetue o pagamento imediatamente, a notificação passa a valer como termo de aviso prévio de 60 dias. Há mais de um mês, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) manteve as negociações com a instituição e a prefeitura para que a situação seja regularizada. No dia 16 de fevereiro, os médicos receberam os valores correspondentes ao mês de janeiro de 2017. Depois, foram pagos os valores relativos a fevereiro. A expectativa do SIMERS ainda é de que a administração do hospital efetue o pagamento do valor em atraso, tendo em vista que a instituição recebeu mais de R$ 1,2 milhão em repasses do governo do Estado no final de janeiro.
SEGUROS