A Luta

Sapiranga: SIMERS constata falta de segurança e superlotação na UPA 24h

13/07/2017 13:27

SIMERS visita a Secretaria Municipal da Saúde de Sapiranga.
Reunião na Secretaria Municipal da Saúde de Sapiranga. Foto: Camila Ferro
Falta de segurança e volume elevado de atendimentos diário chamaram a atenção da equipe do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) que visitou a UPA 24h, em Sapiranga, na tarde de quarta-feira (12).  Integrantes do Sindicato se reuniram com a Secretária Municipal de Saúde (SMS), Janete Salvati Hess, para averiguar a situação. Diariamente, são atendidas, em média, 500 pessoas, entre crianças e adultos. “À noite tem apenas um pediatra que faz o atendimento e, muitas vezes, presta socorro a pacientes em situações difíceis, como parada respiratória, suturas em crianças e acidentes, sobrecarregando o médico”, destaca o diretor do SIMERS André Gonzales.

Estrutura da UPA 24h

Por ser uma unidade nova, a UPA foi aprovada pela equipe, no entanto, a falta de segurança no local preocupa. O SIMERS encaminhará para a SMS documento com esses apontamentos e fará sugestões de melhorias, especialmente, no que diz respeito à segurança dos profissionais e da população assistida no local. “Acreditamos que um dos piores problemas dessa UPA é a vulnerabilidade da segurança em função de que não há ninguém na portaria, o único vigilante patrimonial que atua no local, sequer usa uniforme ou qualquer crachá de identificação, e não possui condições de apartar a violência dos pacientes, situação que se agrava à noite, devido à localização da unidade, distante do Centro”, ressaltou Gonzales.
SEGUROS