Vida

Simers realiza ação social durante as comemorações dos 137 anos do Hospital Psiquiátrico São Pedro

04/07/2021 23:12

 

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) realizou, na terça-feira, 29, uma ação social durante o almoço comemorativo aos 137 anos do Hospital Psiquiátrico São Pedro, que ocorreu no refeitório da instituição. Na oportunidade, houve a entrega de 240 kits com máscara personalizada com o logotipo da entidade e álcool em gel a todos os funcionários do HPSP. A atividade foi uma singela homenagem pelo aniversário e teve o objetivo de contribuir com as demais iniciativas no combate à Covid-19.

A entidade médica esteve representada pelo diretor Rogério Cardoso, que integra o Núcleo de Psiquiatria. Participaram ainda da solenidade médicos, residentes e funcionários do HPSP. Conforme Cardoso, o hospital São Pedro é uma instituição histórica, emblemática e simbólica no atendimento à saúde mental no Estado. Ele destacou o apoio do Simers na defesa da instituição e dos profissionais que atuam na área. 

O diretor de Ensino e Pesquisa do São Pedro, Fernando Neubarth, ressaltou que o HPSP é uma instituição "de todos nós no Rio Grande do Sul". "Não há ninguém, não há família no Rio Grande do Sul que alguma pessoa, de alguma forma na sua história, não teve alguma passagem ou alguma necessidade nesse hospital que faz parte realmente da trajetória da saúde pública no Rio Grande do Sul", observou. Neubarth defendeu ainda a importância de haver um ponto de acolhimento e até de formação de profissionais que possam ajudar no tratamento e no acolhimento de pessoas com problemas mentais. 

Na avaliação da diretora técnica do Hospital São Pedro, Liliane Dias de Lima, a comemoração de hoje é para o futuro. "Ficamos muito felizes em poder estar comemorando essa data onde, na verdade, reforçam todos os nossos conceitos de valorização do paciente, do conhecimento científico e na prática da saúde mental e os seus tratamentos", salientou. 

Também participaram da atividade dois médicos residentes. Um deles é de Boa Vista - Roraima. Para Luis Gustavo Coimbra, a escolha do hospital ocorreu em virtude da reputação em excelência tanto no ensino quanto no atendimento aos pacientes. Ele explicou que a experiência tem sido boa e de qualidade e afirmou que se adaptou à capital dos gaúchos. 

Já o residente formado pela Ufrgs e natural de Cachoeirinha, Douglas de Quadros da Silva, está desde março de 2020 no HPSP. Para ele, a experiência tem sido fantástica. "O aprendizado tem sido fora de série, há colegas que vem do Brasil inteiro e os preceptores também são muito bons. O São Pedro vem enfrentando algumas dificuldades de uns anos para cá e vieram novos desafios com a pandemia também. Mexeram bastante com a gente, mas também fizeram com que  adquiríssemos essa resiliência que tanto se fala na Psiquiatria", comentou. 

De acordo com a diretora do Departamento de Coordenação dos Hospitais Estaduais da Secretaria Estadual da Saúde, Suelen Arduin, o hospital é hoje referência para crianças e adolescentes de todo o Estado, além de ser exemplo no país, na área de ensino. "Quem ganha o presente é a sociedade do Rio Grande do Sul e a população nacional", ressaltou. Ela comentou ainda sobre a oficina de criatividade e os espaços culturais, entre eles o Jardim Terapêutico, inaugurado em maio. Suelen relatou que esteve reunida com a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, para a formalização de um acervo, que já é reconhecido nacionalmente, tranformando-o em um Museu. "Iniciamos com essa ação de transformar esse acervo, que é magnífico e pertence ao Estado do Rio Grande do Sul e está localizado dentro da Oficina de Criatividade, em um Museu. Esse é um ganho importantíssimo para o Hospital São Pedro divulgar os trabalhos realizados aqui dentro e essa arte que é maravilhosa", avaliou, lembrando da proximidade com o Simers e de campanhas como São Pedro no Coração e na Mente.

Boa parte da criatividade na instituição conta com auxílio especial, por meio das atividades lúdicas, realizadas pela servidora Rosa Martins, de 60 anos, sendo 20 anos destes dedicados ao hospital. "Aqui me reencontrei pelos trabalhos que eu faço, pelo desenvolvimento que eu tenho e atividades com os servidores e com os pacientes", destacou. Ela salientou que usa a arte para se comunicar e trazer alegria a todos. "Além do trabalho administrativo, ajudo os colegas com recreação, atividades de dança, de personagens, quando tem alguma atividade na unidade ou na oficina de criatividade, eles me chamam e estou sempre prestativa. Adoro isso e amo esse tipo de trabalho, que é levar alegria àqueles que precisam e levar o meu carinho. Faço vários personagens, me transformo. Eu encaro a vida de São Pedro, então, eu acho que sou o São Pedro vivo até hoje", brincou, ensinando que viver pode ser leve e também divertido.

SEGUROS