A Luta

Diretor do Simers participa de audiência pública sobre o IGP

13/03/2020 00:00

Diretor Marcos Rovinski falou sobre o sucateamento do IGP

Diretor Marcos Rovinski falou sobre o sucateamento do IGP. Foto: Divulgação/ALRS

O Diretor do Simers Marcos Rovinski participou, na quinta-feira (12), de uma audiência pública promovida pela Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia Legislativa para apurar a atual situação do Instituto- Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul. O deputado Dr. Thiago Duarte (DEM) foi o proponente do debate e conduziu os trabalhos.

O principal ponto abordado por todas as entidades que se manifestaram foi a falta de servidores no Instituto. Para amenizar a situação, o governador Eduardo Leite anunciou, no dia 10, um cronograma de chamamento dos aprovados no concurso público para o IGP, realizado em 2017. Conforme o calendário proposto, 25 peritos criminais, 40 técnicos em pericias e 30 médicos-legistas serão nomeados em abril deste ano. No entanto, até 2022, serão convocados 170 servidores, entre eles, mais 15 médicos.

Diversas entidades e uma comissão dos aprovados no concurso para o órgão participaram da audiência e reforçaram que o IGP enfrenta muitos problemas de pessoal, o que prejudica o trabalho realizado pela instituição. 

A falta de peritos também provocou o fechamento de postos do IGP no Interior, como Novo Hamburgo e Santa Rosa, conforme salientou o diretor Rovinski. “Em Canoas e São Leopoldo, só há um médico para toda a população. A situação é catastrófica”, afirmou.

Rovinski afirmou ainda que a falta de um médico legista na direção do IGP também faz com que o planejamento para a distribuição dos médicos no posto também seja prejudicada. “Estão deixando uma instituição que sempre foi considerada de excelente nível se tornar em um órgão extremamente defasado e precarizado”, concluiu. 

A diretora geral do IGP, Heloisa Kuser, reforçou a importância do cronograma anunciado nesta semana. “Estas 95 nomeações já vão fazer a diferença para nosso prestamento de serviço”. Heloisa enfatizou que um novo concurso, abrangendo os fotógrafos criminais e os papiloscopistas, está no planejamento. 

SEGUROS